Neide Neves

Neide Neves

Neide Neves, graduada em Letras – Português-Francês, pela PUC-RJ e Doutora em Comunicação e Semiótica, na área de concentração Signo e Significação nas Mídias, pela PUC-SP, foi aluna de Klauss, Angel e Rainer Vianna durante 13 anos. Participou com Rainer da organização didática, iniciada na década de 1980, do que se denomina Técnica Klauss Vianna desde 1992, ano de abertura da Escola Klauss Vianna, em São Paulo.

  • Dançou no grupo de Rainer Vianna de 1983 a 1987.
  • Ministrou aulas de Corpo na CAL – Casa das Artes de Laranjeiras e no Curso de Formação de Bailarinos e Recuperação Motora, da Escola Angel Vianna, ambas no Rio de Janeiro, na década de 80.
  • Foi responsável pela área de Corpo da Oficina de Atores da Globo, em São Paulo, de 1995 a 1998.
  • Ministrou aulas no Curso de Pós-graduação em Terapia Através do Movimento, da Faculdade Angel Vianna/RJ, de 2007 a 2012.
  • Ministrou aulas no Curso Superior de Teatro e no Curso de Dança, da Anhembi Morumbi-SP, de 2002 a 2018.
  • Trabalhou com diretores de teatro como Eduardo Tolentino, Roberto Vignatti, Cristiane Paolo-Quito, Ron Daniels e Francisco Medeiros, como preparadora corporal de atores, em São Paulo.
  • Na dança, trabalhou com o dançarino e coreógrafo Marcos Sobrinho.
  • Publicou o livro Klauss Vianna – estudos para uma dramaturgia corporal, pela Cortez Editora, em 2008.

Ligada à Escola Vianna de pensamento sobre o corpo, atua como professora e pesquisadora na área de Corpo, Movimento e Dramaturgia Corporal, com atores e bailarinos. Leciona no Curso de Comunicação das Artes do Corpo, na PUC-SP, ministra e coordena o Curso de Especialização em Técnica Klauss Vianna, na COGEAE, PUC-SP.

Principais trabalhos de preparação e dramaturgia corporal em teatro e dança:

  • O Rei de Copas (Rubens Rewald) – com a Troupe de Atmosfera Nômade, direção de Cristiane Paoli-Quito, Centro Cultural São Paulo, 1994;
  • Vestido de Noiva e A Serpente (Nelson Rodrigues), Navalha na Carne (Plínio Marcos), Corpo a Corpo (Oduvaldo Vianna Filho), Rasto Atrás (Jorge Andrade), – com o Grupo Tapa, direção Eduardo Tolentino, Teatro Aliança Francesa, de 1994 a 1999;
  • Crime Perfeito (Alzira Andrade e Mauro Toledo Filho), com Denise Del Vecchio, direção de Roberto Vignatti, Centro Cultural São Paulo, 1997;
  • Rei Lear (William Shakespeare), com Raul Cortez, direção de Ron Daniels, Teatro do Sesc Vila Mariana, 2000;
  • O Nome (Jon Fosse), com direção de Denise Weimberg e os atores do Núcleo Experimental de Teatro do Sesi, em São Paulo, 2004;
  • B – Encontros com Caio Fernando Abreu (dramaturgia de Lucienne Guedes), com direção de Francisco Medeiros, também no Núcleo Experimental de Teatro do Sesi, 2006;
  • Loucos por Amor (Sam Shepard), com direção de Francisco Medeiros, no Teatro Coletivo Fábrica, São Paulo, 2008;
  • O Amante (Harold Pinter), com direção de Francisco Medeiros, Teatro Nair Bello, São Paulo, 2010;
  • Espectros (adaptação de Ingmar Bergman, de peça de Henrik Ibsen), com direção de Francisco Medeiros, Teatro Anchieta, SESC Consolação, 2011;
  • O Baile ou entre imagens e não lugares (reação criativa à poética do filme O Baile, de Ettore Scola), com concepção, coreografia e direção geral de Marcos Sobrinho.
  • Dançando em Lúnassa (Brian Friel), com direção de Domingos Nunez, da Cia. Ludens, no Viga Espaço Cênico, 2013-2014.

http://lattes.cnpq.br/8155842479149898

https://orcid.org/0000-0002-5396-2292

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *